Belíssima Festa com o tema A Bela e a Fera

Que o universo Disney encanta geração a geração, a gente não tem dúvidas. Tem? Vira e mexe pegamos nossos filhos apaixonados pelas histórias que costumávamos ler e assistir. Com o clássico A Bela e a Fera não é diferente, apesar de eu ainda ver muito pouco dele nas festas infantis.  Que por um lado é super positivo, pois dá um quê de exclusividade, e originalidade as pequenas que escolhem esse tema!
Quando recebi as fotos da Festa da Bela e a Fera montada pela Perylampo Festas, fiquei maravilhada e percebi uma repaginada super bem feita num cenário lúdico. Os personagens estão em tamanho real, incluindo os principais, Horloge (o relógio), o tapete e Lumière (o castiçal).  Querem conferir?
Não é de encher os olhos? Puro luxo, gente! Amei.
Serviço:
- Decoração Perylampo Festas
- Tema: Bela e a Fera
- Local: Mundo Meu
- Fotografia: Fernanda Acioly
- Doces: Thiago Freitas
- Bolo: Jessica Pires
- Pais: Polyanna Albuquerque
- Personagens vivos: Bezer Produções 

Entrevista Blog Happy Ending: Sobre Casamento e Filhos

No mês passado participei de uma entrevista pro Blog Happy Ending, de Manu & Beca, e adorei o resultado. Como o tema tem tudo a ver com família, casamento e filhos, decidi compartilhar por aqui.
Querem conhecer um pouco mais sobre mim? Entrevista na íntegra pra vocês! :)
O inicio da história de Bruna e Jorge é a prova de que paquera de balada pode SIM dar certo! hahaha A partir daquela noite foi surgindo uma relação de cumplicidade e, mais pra frente, uma família linda!
“Aos 24 anos, e já com a Princesa a tira a colo, eu conheci o meu marido na Balada. Sim, literalmente na noite. Onde ele promovia a festa. Na verdade, a gente já se conhecia desde a adolescência. E teve esse reencontro rápido, insistente (ele não parava de me olhar hehehehe e arranjava mil e uma maneiras de comigo conversar), e nada além aconteceu naquela noite. Fiz ele penar… #BrunaMá. Foi uma especie de auto defesa, gente. Eu, recém separada, com uma filha pequena, estava saindo pela primeira vez em tempos. Conhecer uma pessoa numa boate, com a minha mesma idade, e que ainda trabalhava com aquilo e vivia pra badalar, me dava um pouco de medo, claro, de me magoar. Mas a conexão da gente desde sempre foi grande, não é porque é meu marido, mas ele é um cara muito especial, meigo, carinhoso, atencioso, e fez de tudo para que a gente estivesse junto, até hoje. Vi o esforço, me senti segura e deixei, depois de alguns meses, me levar…Hoje já estamos há 8 anos juntos. Com mais uma filha, a Miúda de três anos, e muita história pra contar…Não tivemos festa de casamento, porém depois de 2 anos namorando decidimos morar juntos, montar uma nova casa e uma nova configuração familiar.”
Mas, mesmo com amor e companheirismo, a vida de casada traz consigo alguns desafios. Bruna nos conta quais são e fala como contorná-los:
 “Dividir a vida com outra pessoa que veio de uma educação diferente, que muitas vezes age de maneira diferente de você, e que acima de tudo não é você – graças a Deus e viva as diferenças! – requer adaptações, paciência, e que o amor esteja sempre acima de tudo. Mas os valores convergindo, se igualando e se unindo, não tem como não dar certo! A essência das pessoas que se unem é o que não pode mudar e nem se atritar. O resto a gente ajeita…”
Hoje, Buka é mãe, profissional, blogueira, esposa… Muitas funções para administrar. Mas, pra ela, conciliar tudo isso é “uma loucura boa”.
“Nos sentir útil, necessária, a rainha do lar, é de se orgulhar! E muito. Mas claro que se a gente não tentar dividir bem esse tempo, a gente termina se desesperando. Tenho um lema pra vida a dois, e pra vida de mãe, que é mais ou menos assim ó: Não preciso dar conta de tudo. TODO TEMPO. Eu preciso mesmo é escolher, optar, dizer sim e nãos libertadores, que me deixem feliz ao terminar meu dia e saber que nas minhas escolhas, nessas sim, eu consegui me virar, e me doar. Pensando assim, eu tento dividir a minha agenda de mãe, profissional, blogueira, esposa e o “escambau” colocando dias certos, horários certos, pra dar atenção a cada coisa. Não era bem assim até pouco tempo atrás não, viu gente? Mas é o que estou tentando buscar. Esse ano mesmo fiz uma viagem a dois com meu marido, depois de 4 anos só viajando com filhos. E já quero colocar esse momento a dois na programação anual da nossa casa. Fez muito bem pra gente! Como casal, e pras meninas, que sentiram falta dos pais de uma forma gostosa. Uma saudade boa. Fez todo mundo na volta grudar, e elas também passaram a valorizar ainda mais a presença dos pais. Também, pelo trabalho do meu marido pedir uma vida social bem ativa, busquei uma estrutura em casa, com babá de confiança e meus pais, para poder sempre que possível acompanhá-lo. Outro facilitador, é que moro no mesmo prédio dos meus pais e dos meus irmãos, tá funcionamento bem com a gente, cada um ajuda como dar.”
Perguntamos pra ela qual conselho daria pra quem está começando uma família agora. A resposta só confirma o quanto ela é uma pessoa linda por dentro e por fora!
“Meu conselho é que não tem motivo para ter tantos medos da “coisa” não funcionar. Tudo flui, basta a gente jogar as neuras pra lá!
Quando as pessoas falam que no inicio são flores, e na maioria das vezes é mesmo, não é pra focar no fato que depois tudo mudará. O que a gente plantar nesse inicio, vai influenciar, e muito, no alicerce que a gente precisará ter pra enfrentar as dificuldades de se manter um lar. Eu acredito muito no poder do “estar junto”. Juntos somos fortes. O Casal unido consegue segurar a onda com mais firmeza. Buscar meios para fortalecer sua união, vai deixar vocês bem seguros na hora de aumentar a família. Filho muda muito a vida de um casal, de certo, mas cabe a gente fazer dessa mudança uma coisa positiva. Tenha certeza que depois deles, pouco irás lembrar de como era sua vida antes. Era uma vida que não fará mais sentido de ser. Então, Afinal, o que realmente importa pra você? Decida agora. E você não vai nunca mais se arrepender. :)
E ai? O que vocês acharam? Concordam com alguma coisa que falei por lá? Conta pra gente!
Instagram @BlogHappyEnding
Instagram @Maetamorfose

As férias, a pré-adolescência e o Livro.

Defini que a partir dessas férias de julho a Princesa deverá ler dois livros durante o mês de “folga”, um em inglês e outro em português, com data pra acabar. Acredito que estabelecer essa regrinha durante as aulas, mediante tantas obrigações e atividades, já sobrecarrega mais a criança, sabe? E o que a Princesa achou? Ela, até onde eu sei amante da leitura, mesmo assim chiou. Deu um showzinho malcriado! Eu diria!Vendo toda a cena, conversei e expliquei que o livro era de sua escolha, e não minha. Desde que fosse adequado pra faixa etária dela. A quantidade de páginas? Não importava. Desde que fosse um livro de qualidade e afins. E ela entendeu? Pelo olhar, creio que sim. Mas a reação externa ainda era meio revoltosa. Braço forte que não tendia a torcer. Fez 24 horas de Gelo na esperança de “me tocar” e eu rever. Como se eu, a mãe, estivesse a-c-a-b-a-n-d-o com a vida dela nas férias. Ah, a pré-adolescência … Como é boa a fase onde eles em segundos esquecem tudo, e agem numa boa mesmo depois de um castigo, uma chamada, uma rebordosa a toa. Não perdura. Não remói. Só o amor constrói! Hehehehehe..
Enfim, ao final das férias, com mais um livro lido pra coleção, eu tenho certeza que a Princesa irá se encantar pelo fato de ter mais uma história pra contar, com um pitadinha de sentimento de dever cumprido! Claro! Já que ultimamente ela estava demorando que só pra um livro terminar. Percebi uma falta de persistência, ou foco. Ela deixava poucas páginas pra finalizar, passou 6 meses pra ler o último livro. Sei que não era falta de interesse por ele, era uma falta de organização do tempo, sem prazo, então, a gente tende a relaxar. Né não? Acontece comigo, acontece com você. Mas, Com o nosso filhos, Como reverter? Já peguei alguma dicas com leitoras antenadas no quesito “estimulo a leitura”. E comecei a ler um livro de meu interesse seguindo os mesmos preceitos. Uma lendo do lado, outra do outro. Até acredito que criamos uma competição saudável de leitura. Ela sempre me pergunta até onde li, o que eu tou achando da história, e eu da mesma forma, a pergunto também, demonstrando interesse pelo o assunto que ela está lendo.
Gostaria de saber, na opinião de vocês, se estabelecer essas regrinhas de leitura é, ou não, incentivo pros nossos filhos lerem mais? Criarem o hábito e também se empolgarem! Pra vocês, o “estabelecido” perde o gosto e o prazer? Sendo assim, o caminho inverso pode nos acometer?
Siga nossa Fanpage: /maetamorfose
Siga nosso Instagram: @maetamorfose

Programinha Cultural: Estréia da Rádio Matraquinha

 
Venho trazer a boa nova pras famílias pernambucanas, como opção cultural nas manhãs de sábado, no próximo dia 20.06 estreia a Rádio Matraquinha as 11h, na Rádio Folha de Pernambuco (96,7 FM). O programa promete trazer literatura, música e informação para crianças de todas as idades.
A cordelista Mariane Bigio, do Cordel Animado, a cantora Vanessa Oliveira, dA Bandinha, e a jornalista Cláudia Bettini, do site Corujices.com se uniram para dar vida a Rádio Matraquinha. Mariane é responsável pela contação de histórias e divide a locução do programa com Cláudia, que traz a famosa agenda do corujices, informando as opções de atividades para crianças no final de semana. Vanessa Oliveira está à frente da escolha do playlist musical, criação da abertura e vinhetas do programa.
Vai funcionar assim, óh: cada sábado será apresentado um tema diferente para a criançada ouvir junto com a família. Já neste primeiro programa, as meninas trarão informações sobre Festas Juninas, em cordel, Mariane contará a história Lampião Lá do Sertão, de sua autoria, com direito a sonoplastia e trilha sonora, produzidas especialmente para chamar atenção da garotada. Vocês poderão ouvir músicas típicas dessa época do ano, apresentando diversos compositores arretados, a exemplo de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião. Terá também uma entrevista com o cantor, compositor e poeta Bruno Lins, que além da Banda Fim de Feira, participa de dois projetos infantis: Meu Cordel, meu Cordelzinho, e Forró do Miudinho.
Ah, e fiquem ligados, pois através do facebook e instagram da Rádio Matraquinha, está sendo feito o convite para pais e mães gravarem seus filhos e enviarem por email para que os pequenos tenham a oportunidade de ouvir suas vozes no rádio. A ideia é estimular que eles cantem, declamem poesia, poemas, perguntem, expressem o que gostam de ouvir e o que querem falar para o mundo.
Gostaram da novidade? Então, sábado as 11h da matina sintoniza o rádio na 96,7 e curte com a gente!
Serviço:
Rádio Matraquinha
Sábados, 11h as 12h
Na Rádio Folha de PE (96,7 FM) e na web retransmissão no site Corujices.com e as sextas-feira seguinte na Rádio Lagoa dos Gatos