Dica do especialista

Dermatite Atópica, o que fazer?

19 mar de 2014 comentários
A pele do seu filho quando o clima está muito frio ou muito quente fica ressecada e começa a apresentar coceira e lesões cutâneas? Se sim, atenção: ele pode ter dermatite atópica.
A dermatite atópica é uma dermatite crônica e recidivante caracterizada por ressecamento da pele e maior sensibilidade ao frio e ao suor, assim como para bactérias, fungos e outros fatores. É mais frequente em pessoas portadoras, ou que possuem história familiar, de outros processos alérgicos como rinite alérgica ou asma. Geralmente inicia-se na infância e tende a melhorar lá para os 7 anos, mas nem sempre isso acontece.
Tudo se inicia com o ressecamento da pele, que é acentuado por falta de uso de hidratantes que ajudam a recompor a barreira da pele, banhos muito quentes e longos e uso excessivo de sabonetes. É culturalmente errado achar que muitos banhos e uso de muito sabonete irão limpar mais e melhorar a pele, na verdade, o excesso de ambos acabam ressecando mais a pele e mais crises surgem.
A partir dai, podem surgir lesões avermelhadas que coçam e descamam. Os locais mais frequentes são nas dobrinhas dos cotovelos, joelhos e abdômen. Ou então lesões esbranquiçadas e ressecadas nos braços e troncos, que também são manifestações da dermatite atópica.
Antes que apareçam as lesões, é importante evitá-las através de medidas simples:
1) O banho deve ser morno e não muito demorado e realizado usando POUCO sabonete.
2) Dê preferencia a sabonetes infantis e neutros, evite sabonetes antibacterianos como protex, pois estes não são adequados para peles sensíveis e podem até piorar o quadro. Sabão amarelo e de arueira, nem pensar!!!
3) Após o banho, aplicar uma boa camada de hidratante no corpo todo e reaplicar após os banhos e durante o dia se a pele ressecar. Existem hidratantes específicos para pele atópica que podem ser encontrados nas farmácias.
4) Nas lesões, cremes contendo corticóides ou imunomoduladores podem ajudar, e em casos mais graves, até tratamento oral pode ser necessário, mas devem ser prescritos por dermatologista e a pela reavaliada constantemente.
Conforme os períodos de muito calor vão passando, a pele vai melhorando, (ufa!) mas os cuidados devem ser mantidos, principalmente o uso do hidratante.
Texto pelas dermatologistas: Márcia Horowitz e Paula Monteiro
Instagram: @tips4skin
Instagram do Mãetamorfose: @maetamorfose