Mãetamorfose em Palavras

Causos & Casos de uma Princesa

25 ago de 2010 comentários
Mini Dicionário Ambulante:
Neste diálogo ela tinha acabado de fazer 5 anos…
Pegando na orelha da Princesa, perguntei:
– E aí, meu amor. Gostou do brinco novo? É tão delicado, não é?
– Gostei, é lindo! Vovó iria adorar. Ela ama estas coisas delicadas
(Vixe, parece que tô falando com uma moça!)
Por um instante pensei que deveria ter usado outra palavra mais simples tipo: tão fofo, tão lindo, tão botão, pois assim era o seu formato.
Então, tentei consertar:
– Mas Princesa, tu sabe o que é uma coisa delicada como mamãe falou?
Ela toda cheia se si, respondeu:
– Sei, claro!
E lá vai eu interrompê-la com minha explicação ignorando o “eu sei” por pensar que falei uma palavra incomum do universo infantil. Afinal, a gente não fala sempre “solta isso que é delicado” . E sim, “solta que é de quebrar e etc..”
– Princesa, delicado é uma coisa com detalhes (oi?), geralmente pequenas (hã?)…
Agora é ela quem me interrompe:
– ô mamãe. Eu sei. Tá vendo o vidro desta garrafa? É fácil de quebrar. E o guardanapo aqui de papel? É fácil de rasgar. Por isso são delicados. Delicado é uma coisa frágil.
(Boquiaberta…)
Mas ainda com coragem de perguntar mais uma coisa:
– Então, porque seu brinco é delicado?
Quis mais uma provação…
– Porque é pequeno, é de ouro e frágil. Não é?
É verdade. Falar o que mais?