Dica do especialista

Ganho de peso na gravidez

9 nov de 2016 comentários
ganho de peso na gravidez
ganho de peso na gravidez

“Você tem que comer por dois.” “Cuidado para não engordar muito.” “ Mas é só um desejo!” “Nossa, mas você não engordou nada!” “São gêmeos?” “Só tem bucho!” “1kg por mês e olhe lá!”

Essas são algumas frases que escutamos durante os 9 meses de gestação, em relação ao nosso ganho de peso. Quando não escutamos, somos nós mesmas que nos cobramos, seja pensando na saúde do nosso baby, seja pensando em como nosso corpo ficará no pós-parto.

Um excesso de calorias durante a gestação pode levar a problemas tanto para a mamãe –  que vão desde estrias à diabetes gestacional; quanto para o bebê, que pode apresentar maior risco de obesidade no futuro. Há também maior risco de problemas durante o parto, como pré-eclâmpsia. Carência nutricional também pode levar a problemas para a mãe e o feto, como anemia e baixo peso ao nascer, respectivamente. Portanto, não se deve comer tanto, usando a máxima “tenho que comer por dois”, nem tão pouco, pois os 9 meses de gestação não são o período para aderir à  “geração Pugliese” de uma hora para outra.

O ganho de peso ideal na gestação leva em conta o IMC (Índice de Massa Corpórea) pré-gestacional. Ou seja, o que leva-se em consideração para saber o quanto cada gestante deve ganhar na gravidez, é o IMC antes de engravidar. (Calcula-se o IMC dividindo-se o peso em Kg sobre a altura em metros, ao quadrado. Para fazer a conta na calculadora do seu celular, coloque seu peso: exemplo 55 (kg), e divida pela altura, ex: 1,68 (m), e divida novamente pela altura (1,68), o resultado é o seu IMC, nesse caso dará 19,4 kg/m2.  Quanto menor o IMC, mais se deve ganhar peso durante a gravidez. A tabela abaixo mostra a variação média de ganho de peso para cada IMC pré-gestacional:

IMC (kg/m2)

 

Estado       nutricional Ganho de peso por semana no 2º e 3º trimestre (kg) Ganho de peso durante a gestação (kg)
< 18,5 Baixo Peso 0,5 12,5 – 18
18,5 a   24,9 Normal 0,4 11 – 16
25   a 29,9 Sobrepeso 0,3 7 – 11,5
>=   30 Obesidade 0,2 5 – 9

Não é indicado fazer “regime”, não se pode perder peso durante a gravidez, pois mesmo para um IMC mais elevado, tem de haver aumento do peso, pois nesta variação de peso estão incluídos feto, placenta e aumento do volume circulante em nossos vasos. O perfeito então é que houvesse programação: para as mulheres que estão acima do peso, o ideal seria modificações do estilo de vida antes de se pretender engravidar, o mesmo para aquelas que estão com IMC normal mas têm excesso de gordura (as falsas-magras).

Mulheres com baixo peso devem ganhar 2,3 kg no primeiro trimestre e 0,5 kg/semana nos segundo e terceiro trimestre. Gestantes com IMC normal devem ganhar 1,6 kg no primeiro trimestre e 0,4 kg/semana nos segundo e terceiro trimestres. Gestantes com sobrepeso devem ganhar até 0,9 kg no primeiro trimestre e gestantes obesas não necessitam ganhar peso no 1o trimestre. Já no segundo e terceiro trimestre as gestantes com sobrepeso e obesas devem ganhar até 0,3 kg/semana e 0,2 kg/semana, respectivamente.

Durante os primeiros 6 meses (27 semanas), a gestante estoca gordura, é a fase de anabólica materna, e durante os 3 meses finais chega a fase catabólica materna e anabólica fetal, período que em o feto mais cresce. Ainda assim, a gestante tem que ter reserva para as milhares de calorias queimadas durante o parto, além de ter reserva para a amamentação, em que durante um dia de produção e amamentação, perde-se em média 700 calorias.

Em média, deve-se ter uma ingesta de 300 calorias a mais por dia, e claro que não é só quantidade, e sim qualidade de calorias. Se você já alimentava bem, mantenha e fique atenta para o acréscimo calórico e suplementos vitamínicos prescritos por seu médico, conforme cada necessidade. Se você nunca teve uma alimentação adequada, tente mudar isso, lembre-se que tudo o que você come passa para o bebê, e depois que ele nascer, a introdução alimentar será bem mais fácil se o bebê já tiver sido exposto às diferentes nuances alimentares, seja pelo cordão umbilical, seja pelo leite materno. Pense que a alimentação é a forma mais básica e permanente de vivenciar a saúde e manter afastadas as doenças, e não há nada mais desejável por uma gestante do que o nascimento do seu bebê com SAÚDE.

“Que venha com Saúde!”

Amém.

Dicas Gerais:

– Não fique em jejum por mais de 4h (exceto para quando dormir, mesmo assim faça um lanche leve, pouco antes de deitar);

– Tente fazer com que 80% dos alimentos sejam vegetais (frutas, legumes, verduras, raízes, cereais…feijão e arroz entram aqui), e 20% de origem animal (carne, leite, ovos);

– Fuja de alimentos industrializados;

– Beba 3L de água por dia;

– Mantenha atividades físicas, mas antes consulte seu obstetra.

– Se era sedentária, tente caminhadas de 50 minutos, 3x/semana.

– Evite carboidratos de baixo índice glicêmico;

– Escolha alimentos ricos em fibras;

– Coma devagar.

– Se cair em tentação (a gestante que nunca comeu brigadeiro, atire o primeiro bem-casado!), tente diminuir o carboidrato da próxima refeição e capriche nas fibras.

Texto por:

Dra. Manuela Vanderlei Basto

Médica com Residência em Clínica Médica e Especialização em Nutrologia.

Clínica Fernando Basto, Rua Alberto Paiva, 359. Tel (81) 3427 9000. Email: manuelavanderlei@gmail.com

Instagram: @dramanuela

Mãe de Maria Flor, de 11 meses. Engordou 14kg na gestação (normal para IMC prévio), perdendo 5kg no pós-parto imediato, e voltando ao peso normal 6 a 7 meses pós-parto, sem pressa.