Mãetamorfose em Palavras

Mãetamorfose aos 30: A Saga

30 mar de 2011 comentários
Primeiro ato
A grande viagem na montanha russa
Sabe aquela fase, né? Já balzaquiana e com várias amigas animadíssimas se divertindo nas suas montanhas russas, eu decidi encarar a aventura…
Fitava “a gigantesca” com receio do inesperado, pois minha vida estava tão organizadinha. Ou será que eu tinha mesmo era medo e não queria assumir? Mas cá comigo pensava: – Se várias mulheres conseguem dar uma voltinha (ou duas, ou três) nessa montanha russa, divertindo-se horrores e contando os prazeres e delícias da bendita aventura, eu também conseguiria.
Bem, decidi que tinha chegado a hora, meu relógio biológico gritando e lá fui eu com tudo. A fila de espera nem foi tão grande assim, durou “apenas” longos 9 meses…tempo suficiente para me preparar…ledo engano! A gente nunca está suficientemente pronta!
Na hora de embarcar, eu estava tão excitada que nem me dei conta do que podia acontecer. Apertei os cintos, pois como disse me preparei adequadamente (e haja preparação). Então, o danado do carrinho começou a subir, subir…bem alto. Lá de cima o parque de diversões parecia tão pequeno!!! Quando de repente, não mais que de repente…o carrinho que me conduzia (e que eu pensava estar conduzindo…) saiu dos trilhos, desgovernou…Vrum..e veio a primeira grande descida, daquelas de tirar o fôlego por causa do frio na barriga. Pânico! Só lembro de ter fechado os olhos.
Quando os abri, percebi ter emendado num looping gigantesco. Reviravolta. Minha vida de pernas pro ar. Ou seria de cabeça pra baixo?
Logo eu, completamente iludida, pois costumava pensar que estava no comando dos acontecimentos da minha vida, sempre tão meticulosamente planejada. Fiquei descontrolada. Literalmente fora de mim (culpa dos homônios?!).
– Calma! – Pensei. Ou melhor, tentei pensar em alguma coisa. Pensava em tanta coisa ao mesmo tempo que nem conseguia dormir…
Foram noites seguidas sem conseguir dormir, ou seriam dias? Tanto é que perdi o raciocínio, e com ele a noção de tempo e espaço.
Só agora, alguns meses depois, sinto como se minha vida começasse a voltar aos eixos. Finalmente…Já não era sem tempo. Por quê foi acontecer isso comigo? Logo comigo? Será que alguma mãe já se sentiu assim? Normalmente as mães entram nos eixos em poucos dias….instantaneamente se conectam ao seu bebê, e é só alegria. Porém, cada uma tem seu tempo. O meu foi este. Minha mãetamorfose aconteceu…seguimos em frente.
(…)
Nossa colaboradora está em tratamento de depressão pós parto, e pediu para ter sua identidade resguardada. Quem sabe daqui para o fim da saga ela não decida se revelar? 
Para ir direto aos outros atos: 
Segundo Ato
Terceiro Ato
Quarto Ato
Quinto Ato
Facebook: /maetamorfose
Instagram: @maetamorfose