Sem categoria

Mãetamorfose eu, Mãetamorfose tu

22 dez de 2010 comentários

A Lição aqui é AMAMENTAR!

gravidez 2 meses
9 meses 4 anos
3 anos

Meu nome é Maria, sou casada e mãe de Heloísa.
Acredito que todas as mães sabem da importância e dos benefícios da amamentação, não só para a saúde do bebê como para o contato mãe/filho(a). As orientações médicas iniciam já durante a gravidez, várias técnicas são válidas como: cortar o soutien no local dos mamilos, fazer um “toplesszinho” básico para pegar sol nos seios, assim vai. A facilidade de dar de mamar varia de mãe para mãe, incluo aqui o tipo de bico do peito e produção de leite, porém as técnicas pré-amamentação ajudam bastante o bebê a “pegar” com mais facilidade o bico e diminuem muito a dor das mães nas primeiras mamadas. Algumas mães têm a sorte de iniciar a amamentação com pouquíssima dor e sem preocupação quanto à quantidade do leite, outras não.
Ainda grávida de Heloísa me questionava: Será que vou ter leite suficiente para amamentar? Essa dúvida surgiu, pois nunca tive seios fartos e logo pensei que não teria leite suficiente para os primeiros meses. Toda consulta pré-natal a médica dizia: “Tamanho não é documento”, e afirmava que a grande parte das pacientes que não tinha seios fartos amamentava super bem.
Quando Heloísa nasceu, antes de ir para casa, já tive que dar uma passadinha estratégica no banco de leite do hospital para desmamar, pois o seio já estava super quente e cheio de leite. Deu uma peninha das mães dos bebês prematuros que tiravam em torno 20ml enquanto eu tirava mais de 120ml… Daí não pensei duas vezes e doei tudo para o banco de leite do hospital.
Devido à farta quantidade de leite, assim que chequei em casa eu dava de mamar a Heloísa e ainda tinha que desmamar de três em três horas, e mesmo assim acabei tendo mastite. A mastite é uma inflamação da mama que às vezes pode se transformar (bem rápido) em infecção bacteriana. Sentia-me como se estivesse com uma gripe bem forte, fiquei com febre de até 40° e ganhei muitos nódulos nos seios, era como se o leite tivesse “pedrado”.
Acabei precisando tomar antibiótico e adquiri uma desmamadeira elétrica que desse conta com mais rapidez da minha enorme quantidade de leite. Também recorri diversas vezes à minha Salvadora Gerusa, que trabalha em um consultório especializado em aleitamento materno. Ela vai à casa de todas as mamães que a solicitam, é só ligar e marcar um horário. Foi Gerusa quem me orientou divinamente e deu todos os truques como: após desmamar passar 10 segundos com bolsa de gelo em cada seio para diminuir a produção de leite (no meu caso que tinha bastante, quem tem pouco é melhor colocar uma bolsa com água quente para estimular a produção), enquanto desmamar massagear nos nódulos até dissolvê-los, molhar a auréola e o bico do peito com o leite materno para evitar rachaduras e enfiar o máximo a auréola na boquinha do nenê.
Além de tudo isso, o bico do meu peito era invertido e fiquei com muitas rachaduras e ferida. Era todo um ritual pré-amamentação: antes de tudo eu tinha que lavar o seio com água mineral para tirar o “antibiótico-pomada” e desmamar um pouco, pois além de facilitar a pegada do bico, os primeiros jatos de leite são mais ralos e saciam menos o bebê, como eu tinha muito leite se eu não desmamasse os primeiros jatos, em menos de 1 hora Heloísa já estava chorando com fome novamente.
Após algumas semanas, quando as dores passaram e a amamentação tornou-se plena e totalmente prazerosa, recebi uma ligação de Gustavo, padrinho de Heloísa, me avisando que Luiza, sua esposa e minha amiga, após dar a luz a Luana estava com infecção hospitalar, continuava internada e não podia amamentar. Então ele perguntou se eu tinha leite suficiente para Heloísa e para Luana, graças a Deus tive leite suficiente para alimentar ambas, guardava um excedente para quando eu estivesse na faculdade, e ainda doava 1l para o IMIP todos os dias!!!
Meu conselho para todas as mães é que NUNCA deixem de tentar amamentar!
Se for tranqüilo… MARAVILHOSO!
Se sentirem qualquer dificuldade NÃO DESISTAM diante das primeiras dores e obstáculos!
E se tiverem de sobra… DOEM! Tem muitos bebês precisando dessa parcela de saúde.
Texto por Maria Meira Lins, Mãe de Heloísa e defensora ferrenha da AMAMENTAÇÃO.
Gente, por experiência própria posso falar que este post está recheado de dicas VALIOSAS! Muitas mulheres têm o danado do bico invertido, o que dificulta um pouco a amamentação, mas não é impossível o ato! Por isso, como Maria, não se desesperem antes do tempo e realmente preparem os seios o máximo que der pra esse grande momento! Sim, o telefone da Salvadora Gerusa que Maria fala é esse aqui 92327917. Não hesitem em ligar, as Recifenses! Eu sei o que é sofrer com os peitões pedrados e cortados. Adorei o texto! E Vocês? Válido demais.