Bucholândia

Mãetamorfose tu: Paula Monteiro

25 jan de 2016 comentários

No momento atual, ao anunciarmos uma gravidez, além das comemorações e do desejo de muita saúde, quase sempre há uma preocupação constante: E a zika?!
Como é desconfortante e incômodo para nós gestantes termos mais uma preocupação, além das inerentes a este período. Já não bastam todas as transformações do nosso corpo, todos os sintomas que podem ocorrer como os enjoos e a azia, o medo de sofrer um aborto, a apreensão de descobrir outras doenças ou malformações entre tantas outras. Ao final, o que queremos é desvendar e curtir todas as novidades dessa maravilhosa fase das nossas vidas com toda serenidade possível e não com mais preocupações.Lembro que quando fui anunciar minha gravidez, de surpresa, na festa de aniversário do meu marido, um dos assuntos no início da noite foi claro: microcefalia e zika vírus. Descobri que estava gestante bem no início da epidemia quando estavam até orientando as mulheres a adiar os planos de engravidar. Sou médica e estava ciente de todos os riscos, porém eu e meu marido já queríamos liberar e, na verdade, o maior e mais especial motivo foi que meu sogro passou recentemente por um câncer e queríamos presenteá-lo o quanto antes com esta notícia. Liberei com o coração e a coragem e acabei engravidando na primeira tentativa.
Durante a festa, como ainda não havia chegado a hora de fazer o anúncio, lá estava euzinha mais uma vez escutando a preocupação de todos sobre a microcefalia. Para vocês terem uma ideia de como isso mexe com a cabeça da gestante, quando contei à minha mãe, ela emocionada, fez uma expressão de choro, na mesma hora perguntei: “mãe você está feliz ou triste?” e ela respondeu que estava feliz, claro, e me perguntou o porque ela estaria triste, e, acreditem … o que passou na minha cabeça foi se ela estava preocupada com o risco de eu contrair zika vírus. No final, foram muitas comemorações, enfim todos felizes!
A minha orientação como médica e gestante para as atuais ou futuras grávidas é: serenidade e se prevenir! Nada de desesperos. Se você tem urgência em engravidar, por qualquer que seja o seu motivo, se programe direitinho, se você mora em área de risco, procure colocar mosquiteiros nas janelas, faça sua contribuição em não deixar água parada e comunique os meios responsáveis se na sua vizinhança há focos do mosquito.
Após engravidar, inicie logo o seu pré-natal e acrescente à sua rotina de grávida, além do protetor solar e do hidratante, o repelente, e, tão ou mais importante do que isso, use roupas compridas, de preferência de cores claras. O repelente, apesar de diminuir o risco das picadas, não o evita, logo usar roupas compridas, pois é mais uma arma! Reaplique o repelente conforme o horário de reaplicação sugerido, já recebi gestantes reaplicando mais vezes do que o necessário, o que gera risco até de apresentar toxicidade pelo produto. O cheiro dos repelentes pode se tornar enjoativo, minha dica é ter pelo menos 2 tipos para alterná-los. E muito importante: evite áreas de risco.
Se, apesar de todos os seus cuidados, surgir qualquer quadro sugestivo de dengue, febre chikungunya ou zika procure o mais rápido sua obstetra que irá te orientar quanto à realização do teste laboratorial para confirmar se você está ou não com zika, seguindo todas as demais orientações. O prazo do exame no sangue é de 05 dias e na urina de 07 dias.
Se protegendo certinho e mantendo seu pré-natal em dia, você poderá curtir com uma certa tranquilidade cada nova fase da sua gestação e acompanhar o crescimento do seu príncipe e/ou princesa com muita felicidade. Pelo menos, por aqui tem sido assim.
Foto: Pinterest

Texto por Dra. Paula Monteiro, Dermatologista.

Clínica Dermatológica Luciana Lócio, Galeria Trade Center

Telefone: (81) 3465-3543, (81) 99641-3571