Mãetamorfose em Palavras

Mãetamorfose tu: Irmãe

30 ago de 2013 comentários
Dois sendo um.
Me chamo Isabelle, tenho 14 anos e moro no Rio Grande do Norte. Tenho um blog chamado Irmã Corujando, onde falo sobre meu irmão Luís Henrique de 5 aninhos, minha irmã de coração, Vitória, de 11 anos, e minha princesa Anna Larissa, 4 anos.
Desde mais nova costumavam falar que eu tinha o dom de lidar com crianças, pois sempre brincava com crianças mais novas e as deixava ‘calmas’. Aos 8 anos ganhei um irmão, apenas 10 dias antes do meu 9º aniversário, e puxa, que presente maravilhoso. Aos 11 anos percebi que tinha algo em mim diferente, enquanto as amiguinhas preferiam os mais velhos, eu tinha um amor todo especial pelos mais novos, adorava passar várias horas brincando com crianças de 5,6, 3 anos mais novas que eu, e costumava responder decidida quando perguntavam o que eu queria ser quando crescer, “Mãe e Pediatra, quero cuidar de muitos bebês e crianças”.
Hoje, meus sonhos continuam os mesmos, aliás, mais maduros. Minha relação com a blogosfera começou justamente com o Mãetamorfosea Isadora ainda nem existia, acompanhei a bucholândia inteira da Bruna, e sempre me vi como a Sophia, em diversos momentos, como irmã de primeira viagem, pois tinha quase a idade dela quando ganhei meu irmão.
Minha relação com meu irmão é de muito amor e claro, brigas. Não foi uma espécie de amor a primeira vista, mas foi quase, no início de tudo fiquei irritada porque queria que nascesse uma Ana Luiza e não um Luís Henrique, mas afinal, parei para vê-lo, e aquela criança tão pequenina… Claro que me apaixonei, e desde então, acredito que seja um amor quase maternal, pois antes dele eu não chorava em aniversários, não via sempre o lado bom das coisas, não sabia que era possível explodir de emoção nas festinhas da escola e muito menos imaginava que seria capaz de chorar com apresentações de dia das mães (que não são para mim), mas hoje sei que tudo isso é proveniente de um amor que não se explica.
Passamos por muitas brigas, quando Luís era menor levei muitas mordidas, gritos e apanhei muito, ele queria mostrar que mandava, e eu tentando intervir passava mais tempo tentando coloca-lo no famoso ‘cantinho da disciplina’ do que ele realmente passava lá, e quando ele saia, era com mais raiva do que arrependido. Hoje em dia, sei a resposta para esses comportamentos, o amor, porque essas birras passam minha gente, passam sim, e o amor é o que vai educar, a paciência, a explicação que machuca, que a pessoa fica triste, porque o ama muito, e puxa, como requer tempo, mas um dia, passa, e os momentos bons iram sobrepor esses momentos ‘ruins’.
E para quem quer saber a melhor hora para dar um irmão a seu filho, qualquer hora é válida, irmão muitos anos mais novos é quase filho e irmão quase da mesma idade é um grande amigo, e brigas sempre vão existir, mas o amor é muito maior. Obrigada Buka por me dar a honra de escrever no Mãe.
Texto por Isabelle Jácome, do Blog Irmã Corujando.
Esta é uma das verdadeiras formas de Mãetamorfose. Uma transformação repleta de amor. Não apenas uma Mãe tem esse “direito”, e isso ficou muito claro ao ler essas palavras doces e sábias de Belle. Me digam o quão fofa é essa menina? Terminei de ler esse texto com uma certeza: A Princesa precisa conhecer Belle. Ou melhor, EU também preciso conhecê-la pessoalmente. É muita sabedoria para uma criatura iluminada de apenas 14 anos. E olhe que já a acompanho desde os seus 12 anos. Princesa Belle, saber que a inspiro de alguma forma  me deixa beeeeeeem feliz. E orgulhosa, viu? Deus te abençoe. Hoje e sempre. Obrigada você, por existir nesse mundo. Seus irmãos com certeza agradecem todos os dias por isso, se ainda não o fazem, eles irão. Ah, se irão…