Dica do especialista

Mãetamorfose no Divã: O que é Bullying, afinal?

28 mar de 2014 comentários
A partir de agora vamos iniciar um tema bastante polêmico, atual e importante entre crianças e adolescentes, o BULLYING, por ser um tema vasto e com muitas informações importantes, será feito como uma série, dividido em algumas partes. A primeira segue abaixo onde há uma explanação sobre o que é, características, protagonistas, enfim, espero que vocês acompanhem os posts devido ao caráter de importância do assunto.
Bullying é uma palavra inglesa que corresponde a um conjunto de atitudes de violência física e/ou psicológica, que ocorre de forma intencional e repetitiva (no mínimo 3 vezes durante um ano), praticado por um agressor (bully) ou um grupo onde a vítima se encontra impossibilitada de se defender ou esteja em desvantagem. No dicionário a palavra bully significa indivíduo valentão, brigão, tirano, mandão.
O bullying sempre existiu nas escolas, mas só passou a ser estudado há uns trinta anos, aqui no Brasil o tema só começou a ser abordado em 2000. Esses estudos distinguem as brincadeiras naturais e saudáveis daquelas cruéis e que passam os limites do respeito ao próximo. Bullying é um tipo de violência que não pode ser mais tratado como algo restrito ao âmbito escolar, já é considerado atualmente um problema de saúde pública. É muito importante que todos que fazem parte da área médica, assistencial, psicológica, pais, educadores, adolescentes, tenham conhecimento sobre o assunto para que possam atuar ajudando na diminuição da quantidade e da gravidade dos casos, que muitas vezes tem como consequências situações trágicas que poderiam ser evitadas.
Há 5 tipos de formas de bullying:
  • Verbal: insultar, xingar, colocar apelidos pejorativos, piadas ofensivas, gozação e tudo aquilo que verbalmente possa humilhar e desrespeitar o próximo;
  • Físico e Material: bater, chutar, espancar, empurrar, ferir, atirar objetos contra a vítima, roubar, furtar ou destruir coisas da vítima;
  • Psicológico e Moral: excluir, irritar, humilhar, isolar, ridicularizar, desprezar, discriminar, aterrorizar e ameaçar, tiranizar, perseguir, intrigas e fofocas, desenhos e bilhetes de caráter ofensivo.
Em casos onde o jovem possui atitudes indisciplinares e/ou inadequadas que fazem com que o grupo se afaste, a exclusão não é considerada bullying, mas consequências de suas atitudes. Nesse caso deve-se procurar os acompanhamentos necessários de forma que possam minimizar tal situação.
  • Sexual: abusar, violentar, assediar e insinuar;
  • Virtual (Ciberbullying): são covardes mascarados de valentões, que se escondem na rede virtual para difamar, perseguir, caluniar o próximo.
Os protagonistas do bullying escolar:
  • Vítimas: normalmente são alunos com pouca socialização, tímidos e reservados que não reagem na maioria das vezes aos agressores. São frágeis emocionalmente e fisicamente, e possuem características que fogem do padrão imposto por um determinado grupo Têm baixa autoestima , ansiedade excessiva, dificuldades de se expressar, como há uma dificuldade de se impor se tornam alvos fáceis e comuns dos agressores;
  • Vítima agressora: são alunos que sofrem ou sofrerão bullying e como forma de compensação praticam com outra vitima mais frágil e vulnerável;
  • Agressores: possuem traços em sua personalidade de desrespeito, maldade, poder de lideramça, podendo agir em grupo ou sozinho. Esses apresentam desde cedo aversão ás normas, não aceitam frustrações nem contradições. Há uma falta de afeto pelos outros, que pode ter origem em lares desestruturados ou no próprio temperamento do jovem;
  • Espectadores: são os alunos que presenciam os bullyings mas que não fazem nada a respeito. Há os espectadores passivos que não fazem nada a respeito por medo de se tornarem a próxima vítima, os ativos que que apesar de não participarem ativamente do ato manifestam apoio moral com risadas e palavras de incentivo, e os neutros que não demonstram sensibilização como se fossem “anestesiados emocionalmente” em função do contexto social que estão inseridos.
É importante destacar que a omissão por parte dos expectadores configura uma atitude imoral e/ou criminosa, assim como uma omissão de socorro frente a uma vitima de acidente de trânsito.
É importante ficarmos em alerta para podermos ajudar as vítimas e combater os agressores o quanto antes, pois o bullying pode causar consequências devastadoras que falaremos na próxima postagem.
Texto pela Dra. Amanda Pessoa de Melo
Psicóloga Clínica e Psicopedagoga
Telefones: (81) 3268.4041 . (81) 3268.0043 . (81) 8805.6680
E-mail: amandapesso@hotmail.com
Instagram: @amandapsicologa_
Aproveita e segue o blog Mãetamorfose no instagram também: @maetamorfose