Mãetamorfose em Palavras

O filho mais velho

2 set de 2016 comentários
Quantas e quantas vezes me pego cobrando da Princesa atitudes de uma pessoa já “feita” e independente, esquecendo que ela ainda está em formação. Ela precisa da minha orientação, ela precisa muito dos meus cuidados.
Cuidados diferentes da Miúda, eu bem sei. Mas tendemos a tratar nossos filhos mais velhos como “uns velhos”, de fato. Que podem e devem resolver tudo só, que não tem direitos a malcriações, que não tem mais idade pra aquilo ou pra aquilo outro. E na verdade eles, como crianças, têm muito ainda que serem lapidados e orientados.
O filho mais novo quando pequenino nos “sugam” muuuuuito fisicamente, o que nos deixa quase sem energia para os mais velhos, muitas vezes. Principalmente, quando a diferença de idade é grande, como das minhas filhas – uma com 12 outra com 5. A gente que tem que aprender a dividir essa demanda atendendo-os com o mesmo afinco.
Pelo mais velho conseguir fazer as coisas por si, não quer dizer que ele precise menos de você! Com a idade, as necessidades são outras. Uma boa conversa, uma boa leitura, um filme predileto, qualquer coisa que eles amem, deve ser prioridade pra gente também. Nós cobramos muito dos primogênitos! Cobramos até que eles sejam um pouco Pais dos menores. E isso não deve ser lei. Naturalmente eles se colocam em seu papel de mais experiente, e vão dando seu amor, seu carinho, e orientações da forma mais linda. Quanto menos cobrarmos, mais isto vai acontecer.
Não é fácil ser mãe de 2, de 3, de 4… Entender as diferentes fases dos filhos, vivenciando todas as fases ao mesmo tempo, nos deixa um pouco confusas. Não é mesmo? Não me culpo por ter passado por tudo isso, mas me preocupo e aos poucos vou organizando nossas vidas para uma convivência cada vez menos dolorosa e mais feliz!
Alguém aí já se viu nessa situação? Conta pra gente! Vou adorar poder ler e reler mais coisas sobre esse assunto. Vem!