Mãetamorfose em Palavras

Sobre a falsa compaixão na maternidade

22 fev de 2017 comentários

FullSizeRender-2

Teve filho muito nova, bichinha perdeu a juventude.
Teve filho muito velha, tadinha não vai acompanhar o ritmo da crianca.
Não teve filho, coitada não vai conhecer a maternidade (como se ela só surgisse na nossa barriga).
Não QUER ter filhos, ô rapaz… só pode ter algum problema!

Teve parto normal em casa, tadinha é bicho do mato.
Teve cesária, bichinha não tem coragem.
Deu de mamar 1 mês, coitada não deu pro filho o seu melhor.
Deu de mamar 2 anos, ô meu Deus… é muito apegada vai ter problemas .

Voltou a trabalhar com 1 mês, bichinho do neném sem a mãe.
Voltou a trabalhar com 2 anos, tadinha esqueceu da sua vida profissional.
Não voltou a trabalhar, essa pobre vai ser só mãe mesmo?
O que incomoda é que o julgamento vem muitas vezes disfarçado de pena. Assim usando esse tipo de discurso as pessoas não se sentem “mal” por estarem falando das escolhas do outro.
A maternidade está repleta de falsa compaixão! Por menos alfinetadas camufladas e mais amor e acolhimento, por favor!

#Maetamorfosempalavras  @deborahghelman